Notícias

Crescimento do PIB português em estagnação
Comissão Europeia revê em alta o crescimento do PIB da UE, não extensível ao nosso país

As previsões de verão da Comissão Europeia reviram em alta os números de crescimento do PIB da UE para 4,8% em 2021 (+0,6 pontos percentuais face a maio) e 4,5% em 2022 (+0,1 p.p.), em termos reais, refletindo a melhoria da situação pandémica.

O tom mais positivo não se estendeu a Portugal, que foi o único país, a par da Finlândia, que não viu melhorado o crescimento em 2021, com a Comissão a salientar que “o ritmo de retoma foi amortecido pela reimposição parcial de restrições temporárias em junho”.

Portugal foi mesmo o único país onde as projeções de crescimento nos dois anos não se alteraram, com o valor de 3,9% em 2021 a traduzir o segundo ano seguido de divergência face à UE, e a subida de 5,1% em 2022 a permitir recuperar apenas parte desse atraso.

Refira-se que estes números são bastante menos otimistas que as projeções de crescimento mais recentes do Banco de Portugal (4,8% e 5,6%), de junho, aproximando-se mais das projeções do Governo divulgadas em abril (4,0% e 4,9%). 

Olhando para o crescimento acumulado do PIB de 2020 a 2022 à luz dos novos números da Comissão, os dados mostram que Portugal é o país com o terceiro pior desempenho (0,9%), apenas acima de Espanha e Itália, e logo após a Grécia, divergindo da UE (2,9%). Estes países têm em comum uma importância relativamente elevada na economia dos serviços com maior contacto social, em particular turismo e restauração, que foram dos mais penalizados pela pandemia. 

É precisamente para contrariar a divergência dos países mais afetados pela pandemia que servem as verbas do Mecanismo de Recuperação Europeu – a que juntarão depois as do próximo Quadro financeiro plurianual –, pelo que aguardamos com expectativa se o PRR português conseguirá, efetivamente, aproximar-nos do nível de vida europeu médio e dos países mais ricos, medido pelo PIB per capita em paridade de poderes de compra.

Nos anos mais próximos, as perspetivas para este indicador não são favoráveis.

Em 2020, Portugal situou-se na 19ª posição, com o indicador a recuar para 77,6% da média da UE, interrompendo vários anos de recuperação (de 75,8% em 2012, durante a vinda da troika, o mínimo neste milénio, até 79,3% em 2019). Recorde-se que, na década de 90 do século passado e na entrada deste milénio, Portugal se situava na 15ª posição, tendo atingido um máximo de 85,3% no ano 2000.

Até 2022, atendendo às perspetivas de evolução do PIB (e assumindo dinâmicas semelhantes da população e dos preços), Portugal poderá ser alcançado em nível de vida pela Polónia (com mais 1 p.p. de crescimento que Portugal em 2021-2022), que se encontrava na 20ª posição em 2020 (76,4%) e ter a Hungria (21º em 2020) já muito perto.

Crescimento acumulado do PIB 2020-2022 nas projeções de verão da Comissão Europeia
Fonte: Comissão Europeia e cálculos AEP


PIB per capita de Portugal em paridade de poderes de compra (% da UE) e ranking na UE
Fonte: Eurostat

Área Reservada

Eventos

Ver Todos os Eventos >>

Torne-se associado

A AEP oferece aos seus Associados uma série de vantagens nos serviços que presta.

Associe-se à AEP!

Siga-nos no Linkedin