FAQ'S
1. Como participar nas acções internacionais da AEP?
2. Quais os mercados onde são desenvolvidas as acções?
3. Quais os sectores empresariais envolvidos nas acções?
4. Quais os requisitos para participar numa acção?
5. Qual a percentagem de comparticipação a que cada empresa tem direito?
6. Qual o papel da AEP no âmbito da internacionalização das empresas?
7. Quais os moldes das acções internacionais da AEP?
1. Como participar nas acções internacionais da AEP?

Para que a sua empresa possa participar nas acções internacionais da AEP -BUSINESS ON THE WAY- basta que aceda à respectiva ficha de inscrição (hiperligação presente na “newsletter”) e proceda ao seu preenchimento. Por favor, faça-a acompanhar pelo Certificado PME, emitido pelo IAPMEI, para que se possa aferir qual a comparticipação que lhe caberá consoante a dimensão da empresa. É importante salientar que a inscrição apenas será oficializada quando proceder ao pagamento da taxa de inscrição (no valor de 1.000,00€), a qual deverá ser liquidada nesta fase inicial.


2. Quais os mercados onde são desenvolvidas as acções?

As acções internacionais da AEP têm por destino a Europa, a África, a América (do Norte e do Sul), a Ásia e o Médio Oriente. Os mercados escolhidos em cada um destes continentes/ regiões são os que, mediante profundo estudo e análise, apresentam uma maior garantia de sucesso para as empresas portuguesas e melhores condições de recepção dos produtos nacionais. Tal deve-se a factores tão diversos como a proximidade linguística, cultural e histórica; o dinamismo económico, e o liberalismo comercial bem como a existência de legislação favorável às trocas comerciais, entre outros. A análise efectuada tem em consideração, de forma diferenciada, mercados e sectores.


3. Quais os sectores empresariais envolvidos nas acções?

As acções internacionais no âmbito do projecto BUSINESS ON THE WAY englobam os sectores da construção e materiais de construção; energias renováveis; mobiliário, decoração e têxteis lar; joalharia; medico-hospitalar; e agro-alimentar e bebidas.


4. Quais os requisitos para participar numa acção?

Para participar nas acções internacionais da AEP a empresa deve ter um CAE elegível, ao abrigo do regulamentado pelo QREN, e não pode ter sede nos NUTS de Lisboa e Algarve, pois os apoios para as empresas destas regiões são específicos e proporcionais ao grau de desenvolvimento da região.


5. Qual a percentagem de comparticipação a que cada empresa tem direito?

A comparticipação do QREN às empresas no apoio à internacionalização é de 40%, no caso das médias e grandes empresas e de 45%, no caso das micro e pequenas empresas. Estas percentagens incidem sobre o custo total da acção, não compreendendo a taxa de inscrição (no valor de 1.000,00€).


6. Qual o papel da AEP no âmbito da internacionalização das empresas?

A AEP reserva-se o papel e o dever de estudar profundamente os mercados alvo das acções, de forma a apresentar incursões e acções nos mercados que mais garantias de sucesso oferecem às empresas portuguesas. Por outro lado, apoia as empresas através da organização e operacionalização integral das suas acções.

O Departamento de Serviços às Empresas em geral, e a área internacional em particular, nas pessoas dos gestores de mercado, estará sempre disponível para informar e apoiar os associados AEP na elaboração de estratégias e planos de internacionalização.


7. Quais os moldes das acções internacionais da AEP?

As acções internacionais do projecto BUSINESS ON THE WAY consistem em missões empresariais, feiras e mostras de produtos.

No caso das missões empresariais procura-se estudar e perceber ao pormenor as empresas que a integram de forma a encontrar no mercado internacional o cliente que a empresa procura e os parceiros mais apropriados. O esquema tipo das missões empresariais é o de duas reuniões por dia com potenciais clientes. Por questões de operacionalidade, as comitivas empresariais são constituídas por poucos elementos e deslocam-se individualmente às supracitadas reuniões. br /> Quanto Quanto à participação em feiras, o objectivo é expor os produtos nacionais em certames internacionais, sendo que se procura publicitar a presença das empresas portuguesas e a imagem de Portugal, conseguindo, assim, dar a conhecer aos principais “players” do mercado, o mercado nacional.

Relativamente à participação em mostras de produtos, o objectivo é expor os produtos nacionais em acções de carácter específico cujo intuito é promover a presença das empresas portuguesas e a imagem de Portugal dando a conhecer aos principais "players" de cada mercado a oferta portuguesa.

Em todas estas situações são facultados às empresas dossiers com informações relevantes acerca do mercado em causa, para que estejam preparadas na hora da sua abordagem.
www.pofc.qren.ptd>